As relíquias do Universo primitivo são mais poeirentas que o esperado!

11 de Junho de 2014
Clique para ver a imagem maior

O ALMA tem explorado os recantos mais poeirentos do universo para descobrir os segredos das maiores explosões do universo!

As explosões de raios gama são as explosões mais brilhantes do universo. Emitem mais energia em 10 segundos que o Sol na sua vida inteira de dez mil milhões de anos!

Apenas conseguimos ver as explosões de raios gama em galáxias muito distantes, de tal forma que levaria milhares de milhões de anos até que a luz por elas emitidas chegasse até nós. Isto significa que quando olhamos para estas galáxias através de telescópios estamos a vê-las tal como eram a milhares de milhões de anos atrás, quando o universo era muito jovem. (O universo tem 13 800 milhões de anos de idade)

Os astrónomos pensam que as explosões de raios gama são produzidas pela detonação de estrelas massivas no final das suas vidas. Estas ardentes explosões de luz são seguidas de emissões de brilho mais débil. No entanto, misteriosamente, algumas explosões de raios gama parecem não apresentar esse brilho remanescente. São conhecidas como “explosões negras”.

Uma explicação para estas explosões negras é a de que a explosão fica escondida por nuvens de poeira cósmica que bloqueia a luz mais débil. No entanto, isto contradiz outra ideia de que as explosões de raios gama deveriam estar rodeadas por grandes quantidades de gás a partir do qual se formaram as estrelas iniciais.

Até à data, não possuíamos telescópios suficientemente poderosos que permitissem penetrar no Universo distante e resolver este problema cósmico. Mas o ALMA veio prestar um poderoso auxílio.

Usando este gigantesco telescópio, os astrónomos estudaram duas galáxias onde se registaram recentemente explosões de raios gama. Pela primeira vez, conseguiram examinar a vizinhança à volta das explosões de raios gama e descobriram que estas antigas galáxias estão localizadas em ambientes incrivelmente poeirentos!

Cool Fact!

As explosões de raios gama estão demasiado longínquas para que os astrónomos consigam ver todos os detalhes. A espetacular imagem deste space scoop foi criada por um artista de forma a dar-nos uma ideia do aspeto que poderá ter.

Descarregar
Go to: www.spacescoop.org
This Space Scoop is based on a Press Release from:
ESO
NAOJ
more news